Conectado com

Por que Jesus teve que morrer na cruz?

Deus de Detalhes

Por que Jesus teve que morrer na cruz?

Essa pergunta estava me incomodando nos últimos dias!

Alguns detalhes da morte de Jesus: antes da crucificação, Jesus foi açoitado, o comum eram 39 vezes. Os romanos usavam um chicote especial que tinha pequenos pedaços de ossos de animais quebrados, com pontas terríveis e metal amarrados a três fios de couro. Então, cada chicotada abria três feridas… faça a conta: 39 x 3!!!

Ao final do açoite, uma coroa de espinhos foi cravada em sua cabeça, causando sangramento no couro cabeludo, na face e na cabeça.

Então andou no meio da multidão carregando a cruz, possivelmente só a haste horizontal dela, por mais ou menos dois quilômetros, tendo que ouvir a desaprovação do povo. Literalmente Jesus “foi moído pelas nossas transgressões.” Isaías 53.

Então veio a crucificação, indiferente de ter sido pregado nas mãos ou pulsos, com os pés juntos ou separados, a dor que Ele sentiu foi terrível!!

Aí vem a pergunta: Jesus é Deus, não poderia simplesmente ter falado: “De agora em diante todos que se arrependerem e pedirem o meu perdão estarão perdoados”? Mas não: Ele escolheu vir a este mundo mau e corrompido, sofrer e ter uma morte dolorosa e humilhante numa cruz, por todos os pecadores do passado, presente e futuro.

Que AMOR é esse?

Um amor JUSTO!!

Pra entender melhor, do Livro de Ed René Kivitz, Talmidim 341:

“Precisamos entender melhor o que significa dizer que o pecado humano quebrou o critério de justiça que sustenta o universo. Imagine que um criminoso entra em uma casa e mata a esposa e os filhos de um homem justo e bom. Diante de crime tão hediondo, as pessoas ficam à espera da reação dele. O homem então oferece perdão ao criminoso e intercede aos poderes judiciais que o libertam. Justifica seu gesto dizendo: ‘Eu amo esse criminoso, apesar de ele ter assassinado minha esposa e meus filhos. Não farei nada nem espero reparação. Não creio que alguém devesse fazer algo a respeito. Vamos simplesmente amar esse homem’. As pessoas em volta provavelmente perguntariam: ‘Mas você também não amava sua esposa e seus filhos? Vai deixar sem resposta essa agressão feita contra você? Você não tem amor próprio? Que critério de justiça existe em seu coração, que despreza o sacrifício da vida dos inocentes para sustentar com vida esse assassino? E mais, que amor é esse que você diz ter pelo assassino se o deixa seguir impunemente seu caminho mau, destruindo vidas e destruindo a si mesmo?’

O gesto mais escandaloso do que simplesmente, em nome do amor, seguir em frente como se nada tivesse acontecido, seria o seguinte: exigir a prisão, o julgamento e a condenação do assassino, e depois se oferecer para cumprir a pena em seu lugar. Isso seria um gesto de amor sem sacrifício da justiça. Foi o que Deus fez. Na cruz de Cristo, Ele deu uma resposta contundente ao mau e cumpriu a justiça que sustenta o universo. Mas também, e principalmente, deu ao universo um testemunho irrefutável do Seu amor”.

O que eu concluo: Independente dos detalhes de como aconteceu, o fato é que aconteceu! Jesus sofreu terrivelmente… por mim! Em meu lugar! Eu errei!! Eu pequei e vou pecar de novo, afinal sou humana, mas Jesus já pagou o preço, um preço justo. Um preço de AMOR!!

 

 

Deus de Detalhes
Vanusa Schulz Ceruti

Continuar Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em Deus de Detalhes

Artigos Populares

Para o Topo