Conectado com

“Então ouvi a voz do Senhor, conclamando: ‘Quem enviarei? Quem irá por nós?’ E eu respondi: ‘Eis-me aqui. Envia-me!’” Isaías 6:8

Capa

“Então ouvi a voz do Senhor, conclamando: ‘Quem enviarei? Quem irá por nós?’ E eu respondi: ‘Eis-me aqui. Envia-me!’” Isaías 6:8

Na reportagem de capa desta edição, vamos conhecer um pouco mais sobre entidades que buscam fazer a diferença na vida das pessoas, por meio da divulgação da Palavra de Deus. Os Gideões Internacionais e a Adhonep levam o Evangelho aos quatro cantos do mundo. Confira como é realizado o trabalho dessas associações, inclusive em Marechal Cândido Rondon e região Oeste paranaense. A matéria também é em comemoração ao Dia Internacional do Homem (19 de novembro), já que essas instituições têm à frente homens valorosos.

 

Semeando a Palavra

Você já recebeu um “Novo Testamento”? Aquele livrinho bonito, de capa firme, que podemos levar para todo canto? Eles são distribuídos pelos “Gideões Internacionais”, homens de negócio e profissionais liberais. De acordo com o atual presidente do campo de Marechal Cândido Rondon e secretário da estadual Paraná, advogado Jean Aleixo, gideão desde 2006, a associação não prega a Palavra de Deus, apenas semeia a Palavra, confiando no poder do Espírito Santo em convencer o pecador por intermédio da leitura dos Novos Testamentos. “Temos como fundamento o texto bíblico que se encontra em Isaías 55:11, que afirma que a Palavra de Deus não volta vazia! Esta associação teve seu início em 1899, nos Estados Unidos, onde três pessoas ‘ocasionalmente’ se encontraram pelos caminhos da vida e desenvolveram a ideia de deixar um exemplar da Palavra de Deus pelos hotéis que se hospedavam. No início, a distribuição ocorria apenas em hotéis. Hoje, 119 anos depois, além dos hotéis, distribuímos nas escolas, faculdades, universidades, hospitais, repartições públicas civis e militares, bombeiros, presídios, escritórios de advocacia e consultórios médicos”, explica.

Neste ano, os Gideões completam 60 anos de ministério no Brasil, ultrapassando a marca de 200 milhões de Novos Testamentos distribuídos. No mundo, já são mais de 2 bilhões de exemplares, em mais de 200 países e territórios, traduzidos em mais de 100 línguas. “Em todo ministério mundial, há cerca de 300 mil membros. Nossas esposas possuem a importante responsabilidade de distribuírem Novos Testamentos onde os homens não podem realizar a entrega, como em prisões femininas, alas femininas de hospitais, etc. Para gerenciar toda a logística de distribuições, possuímos uma Sede Internacional, localizada nos Estados Unidos, e uma sede em alguns dos países que atuamos (no Brasil é localizada em Campinas – SP). Para a tomada de decisões, um Gabinete Internacional é anualmente eleito, assim como um Gabinete Nacional, um Estadual e um no ‘campo’, como são denominadas as divisões de áreas realizadas dentro de um estado. Marechal Cândido Rondon é um ‘campo’ com reconhecimento nacional diante da atuação de seus membros. Tão relevante que, neste ano, uma Convenção Estadual foi realizada aqui no mês de abril, onde gideões e auxiliares de todo o Paraná participaram, sendo eleito como Vice-Presidente da Estadual Paraná o professor Edilson Hobold, de Marechal Cândido Rondon. Tivemos, neste evento, a presença de nosso Presidente Nacional. Todos estes gabinetes possuem a responsabilidade de coordenarem e garantirem que as distribuições ocorram da forma estabelecida em nosso manual (guia), com a colaboração direta de cada membro do ministério, espalhados por todo o Brasil e mundo”, destaca.

 

Foco na oração

Neste ano, em todo o mundo, o alvo é a distribuição de 95 milhões de Novos Testamentos e, no Brasil, 7 milhões; no Paraná, o alvo é de 306 mil e no Campo de Marechal Cândido Rondon (que compreende os municípios de Santa Helena, Entre Rios do Oeste, Pato Bragado, Mercedes, Quatro Pontes, Nova Santa Rosa, Maripá, Palotina e local), serão distribuídos 7 mil Novos Testamentos. “Não somos ligados, como associação, à nenhuma Igreja. Mas todos os Gideões e Auxiliares (Esposas) são membros de uma Igreja Evangélica/Protestante e, para fazer parte deste ministério, é fundamental a anuência do pastor da igreja a qual o candidato faz parte. Somos um ‘braço estendido’ de nossas igrejas, atuando também neste ministério. Como uma associação que possui várias igrejas com denominações diferentes, não discutimos doutrinas e práticas, mas focamos na oração – nos reunimos semanalmente para esse fim – e na distribuição da Palavra. Somos muito bem recebidos na maioria dos locais de distribuição. Não temos ajuda financeira de nenhum órgão governamental ou privado, mas apenas por intermédio da oferta espontânea de cada membro e das Igrejas que visitamos e por meio do PLANTE – Plano de Aquisição de Novos Testamentos -, que é um método de contribuição mensal de valores onde, por boleto ou direto no cartão de crédito, qualquer pessoa pode ofertar com o valor que entender em seu coração”, explica Jean.

 

Motivação

O que motiva “Os Gideões Internacionais” a continuarem, a cada ano, com as distribuições, são as milhões de pessoas que já entenderam a mensagem do Evangelho com a leitura dos Novos Testamentos e, hoje, têm Jesus como Senhor e Salvador. “Como exemplo e motivo de grande alegria, é termos um membro de nosso campo que foi alcançado por Cristo enquanto estava na prisão, onde recebeu um Novo Testamento de um Gideão, e hoje atua vigorosamente em uma Igreja de Marechal. Nosso maior desafio e motivo de oração, hoje, é que as portas continuem abertas para a distribuição da Palavra de Deus. Em centros maiores, em alguns locais, não é mais permitida nossa entrada. Pedimos que orem por este ministério! Pedimos que orem para que continuemos com a liberdade de semearmos a Palavra, para que pessoas sejam alcançadas ao lerem os Novos Testamentos. Temos consciência que somos apenas instrumentos nas mãos de Deus e que é Ele que faz toda a obra pelo poder do Espírito Santo. Tudo que fazemos é para a honra e Glória de Cristo Jesus! Que Deus abençoe a todos vocês”, finaliza Jean.

 

Um testemunho impactante!

O atual membro dos Gideões Internacionais alcançado por Cristo através de um Novo Testamento citado por Jean em sua entrevista. é Edson Mioti que gentilmente, compartilhou um pouco da sua história conosco.

Edson conta que na adolescência, se distanciou dos caminhos do Senhor e, devido a isso, passou a usar drogas, furtar, roubar e assaltar, período em que se envolveu com uma facção criminosa e se tornou uma pessoa violenta e sem nenhum temor a Deus. “Com o decorrer dos dias, essas práticas fizeram com que eu perdesse 10 preciosos anos de minha vida no Presídio de Segurança Máxima Jair Ferreira de Carvalho, em Campo Grande (MS), condenado pelas coisas que havia feito. Nesse tempo em que estava preso, mais precisamente na véspera de Natal do ano de 2005, tentei, juntamente com comparsas, fugir da prisão. Entretanto, nossos planos foram em vão, uma vez que fomos descobertos pelos agentes penitenciários e, como castigo, apanhamos bastante e fomos colocados em uma cela especial, também conhecida no presídio como cela disciplinar, totalmente escura e fechada”, relata.

Edson lembra que naquele estado e sem esperança alguma, começou a ouvir uma voz que o incentivava a se suicidar, pois era melhor tirar sua vida a continuar naquele estado. “Confesso que já estava preparando-me para fazer isso, quando ouvi alguém me chamar e dizer: ‘Vou mandar algo para você que vai te ajudar’! Naquele momento, pensei que fosse vir algum entorpecente que pudesse ‘aliviar’ a dor que estava sentindo. Contudo, para minha surpresa, veio um Novo Testamento, entregue pelos Gideões. Ao pegar aquela parte da Bíblia em mãos, o Espírito Santo começou a me fazer lembrar que, na verdade, eu não era aquele cara que estava prestes a tirar o bem mais precioso que tinha, mas alguém que era filho de cristãos, que nasceu em berço evangélico, conhecedor da Verdade, batizado na igreja e que tinha uma promessa de Deus na vida”, destaca.

 

A fé e a resposta instantânea

Olhando para a Palavra de Deus e com essas lembranças, Mioti fez uma oração ao Pai dizendo: “Deus, se o Senhor tiver mesmo um plano em minha vida, fala comigo e tire-me dessa situação, pois eu não aguento mais viver assim”. Para sua alegria, terminou essa rápida oração e Deus falou com ele através de Sua Palavra. “Quando abri a Bíblia, caiu certinho em Salmos 46, e meus olhos derramavam lágrimas ao ler: ‘Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angustia’.  Quando li esse Salmo, correntes dentro de mim foram quebradas. Senti-me liberto pela Palavra do Senhor e pude experimentar novamente o amor de Deus por mim. Doravante, minha vida foi transformada, pois, apesar de passar mais 4 anos e meio naquele lugar, comecei a pregar aos presos aquela Palavra que me transformou. Lá dentro daquele presídio, Deus usava-me para ser um instrumento Seu e ajudar outros a saírem daquela situação. Para a glória de Deus, finalmente chegou o dia em que saí do lugar que nunca mais quero voltar. Continuei minha experiência com o Senhor servindo-o na Igreja Assembleia de Deus em Campo Grande (MS). Atualmente, tenho o privilégio de ter constituído uma linda família, pastorear uma congregação, aqui em Marechal Cândido Rondon. Só tenho motivos para adorar a Deus pelo que tem acontecido em minha vida nesses últimos anos, visto que Jesus mudou meu viver. Hoje, posso desfrutar da paz que só Ele pode dar. Desfrutar da alegria de ser amado por Ele e dizer que Jesus tem o poder de transformar tristeza em felicidade. Sou muito grato a Deus e aos Gideões Internacionais, pois são a razão de poder estar aqui hoje; à minha linda esposa Maria, aos meus filhos Eduardo e Lucas e ao meu pastor, Vicente Mariano, o qual tem me ajudado a crescer no Ministério”, finaliza.

 

Adhonep

Outra instituição que leva a Palavra de Deus às pessoas é a Adhonep: Associação de Homens de Negócios do Evangelho Pleno, tendo como objetivos principais difundir e incentivar a observação e prática de princípios sociais, éticos, morais, a valorização da instituição familiar, bem como a difusão de princípios espirituais cristãos, fundados na Bíblia Sagrada.

Essa instituição brasileira não eclesiástica, foi fundada em 1977, no Rio de Janeiro, pelo empresário Custódio Rangel Pires, por incentivo e autorização de Demos Shakarian, um fazendeiro norte americano que, por sua vez, foi o fundador da FGBMFI (Full Gospel Business Men’s Fellowship International), uma organização côngenere, em 1952. Ao lado de Custódio, Aracy Silva Rangel começou o trabalho do apoio feminino como coordenadora nacional e Rozane Rangel Cunha deu início aos projetos editoriais.

Segundo Luiz Carlos Lins, presidente do Capítulo n° 640 da Adhonep em Marechal Cândido Rondon, a instituição conta com mais de 1.500 capítulos registrados no país, estendendo suas atividades nas três Américas, Europa, Ásia, Oriente Médio, Emirados Árabes (Base em Dubai) e África. “O grupo local é formado por três casais; realizamos reuniões semanais e em média três jantares no ano, momento em que são convidados palestrantes para contar o seu testemunho de vida. A Adhonep cumpre a sua finalidade através da realização de eventos sociais (café da manhã, almoços, jantares), treinamentos de líderes, workshops, reuniões regionais e uma convenção internacional anual, realizada no Brasil. Também publica as revistas ‘A Voz’, ‘Resposta’ e ‘A Voz Jovem’, como meio de divulgação de histórias de sucesso vividas por nossos associados. O método de ação é o compartilhamento de experiências pessoais que resultaram em modificação de conduta, hábitos e práticas que contrariavam princípios cristãos fundamentais. Como exemplo, podemos citar vários casos em que pessoas tiveram suas vidas transformadas e famílias restauradas por meio do testemunho de palestrantes em nossos eventos, tendo como base bíblica Marcos 16:15: ‘E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura’”, explica.

 

Uma instituição para todos

A Adhonep é composta tanto por homens, quanto por mulheres. “A mulher moderna é ativa na sociedade, por isso o apoio feminino desenvolve um trabalho sério e relevante, promovendo reuniões, chás, almoços e programações de classe em todo o Brasil, envolvendo apenas mulheres. Qualquer pessoa maior de idade pode se associar à Adhonep, inclusive participar dos jantares promovidos pela associação”, explica Luiz.

 

O papel do homem

Sendo 19 de novembro o Dia Internacional do Homem, pedimos a Luiz qual a sua opinião sobre o papel do homem na família. Ele sugere o texto de 1 Coríntios 16:13-14: “Vigiai, estai firmes na fé; portai-vos varonilmente, e fortalecei-vos. Todas as vossas coisas sejam feitas com amor”. “O apóstolo Paulo admoesta os irmãos da igreja de Corinto a serem vigilantes, permanecendo firmes na fé, a portar-se de modo varonil e a esforçar-se, praticando todos os seus atos com amor. Portanto, vemos que, embora não seja fácil, o homem, primeiramente, deve ser vigilante e permanecer firme na sua fé. Não importam as tentações, pressões e exigências feitas pela sociedade de forma geral. Tudo o que importa, no final, é permanecer na fé. Além disso, a recomendação de se portar de modo varonil também merece destaque, pois ela pode ser traduzida como ‘portai-vos como homens’, enfatizando não somente a coragem, mas também a maturidade. Por fim, a ordem de Paulo para que fizessem tudo com amor serve como um equilíbrio para essas fortes exortações. Ou seja, a Bíblia diz que devemos nos amar uns aos outros (João 13:34). Devemos amar a família de Deus (1 Pedro 2:17). Devemos amar os nossos inimigos, isto é, devemos procurar ativamente o que é melhor para eles (Mateus 5:44). Os maridos devem amar suas esposas como Cristo ama a igreja (Efésios 5:25). Quando mostramos benevolência e amor altruísta, refletimos o amor de Deus para um mundo perdido e agonizante. ‘Nós amamos porque Ele nos amou primeiro’ (1 João 4:19). Deste modo, o principal papel do homem na sociedade é refletir o amor de Deus para com os seus semelhantes. Nesse sentido, a Adhonep pode ser vista como uma poderosa ferramenta para que os homens demonstrem seu amor ao próximo, na medida em que seu objetivo principal é que amigos compartilhem Jesus Cristo com outros amigos”, ressalta.

Luiz enfatiza que ser cristão requer coragem, intrepidez, perseverança e ânimo, portanto devemos nos esforçar e nos mantermos firmes no propósito de levar a mensagem da Salvação por meio de Jesus Cristo a todos os povos da terra. “Numa reunião de negócios, é muito difícil que se fale de algo que preencha o homem interior, no entanto, é justamente disso que o homem mais necessita na vida. O homem que tem a experiência de uma mudança ou milagre recebido de Deus, e que deseja narrar esse fato, tem a grande oportunidade de compartilhá-lo com um amigo, por meio da Adhonep”, finaliza.

Capa

Continuar Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em Capa

Artigos Populares

Esporte, Saúde e Qualidade de Vida

Mãe que pedala…

Papo de Homem

Pessoa poderosa

Turminha da Paz

Isabel e Zacarias

Para o Topo