Conectado com

Aspectos Emocionais do Homem Frente ao Câncer de Próstata

Refletindo

Aspectos Emocionais do Homem Frente ao Câncer de Próstata

O Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA) aponta que no Brasil, o câncer de próstata é o segundo entre os mais comuns em homens, perdendo apenas para o câncer de pele não-melanoma. Este tipo é considerado um câncer da terceira idade, pois, três quartos dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos. O aumento nas taxas de incidência no Brasil pode ser e justificado, em partes, pela melhoria dos métodos diagnósticos, e na qualidade dos sistemas de informação do país, também, pelo aumento na expectativa de vida. Sabe-se que alguns desses tumores podem crescer de forma rápida, espalhando-se para outros órgãos e podendo levar à morte, contudo, a grande maioria cresce lentamente, podendo não dar sinais durante a vida e nem ameaçar a saúde do homem.

Quando chega a notícia, o paciente inicia toda uma reorganização de sua rotina frente às demandas, tanto da doença, como do tipo de tratamento, mostrando-se, muitas vezes, como um evento traumático na vida da pessoa e de seus familiares, pois o câncer ainda é cercado de mitos e estigmas como dor, solidão e morte.

Assim, a família, os profissionais e os amigos são extremamente importantes no decorrer do tratamento, principalmente no respeito aos limites e aos desejos do homem, também na compreensão de que haverá dias bons e ruins. Ele poderá passar por alterações de humor e por isso sentir medo, raiva, alegria, impotência, desânimo, tristeza, frustração, otimismo, esperança, chorar e se isolar, entre muitos outros sentimentos e emoções muito comuns. Os aspectos físicos, emocionais, mentais, ambientais e espirituais fazem parte da vida.

Talvez o mais temido aspecto frente a um câncer de próstata é a sexualidade, pois o paciente pode diminuir seu desejo sexual durante o tratamento, o que está associado à fadiga, às mudanças corporais e emocionais. Principalmente, a angústia acerca da cura, da sobrevida, da família, das finanças e outras. Por isso, falar sobre as dificuldades que estão sendo enfrentadas é fundamental para o reestabelecimento saudável da sexualidade e do bem-estar do homem, tendo em vista que ele poderá ter perda de autoestima e do sentimento de virilidade.

Embora o câncer de próstata seja assunto bastante lembrado e discutido, o mês de novembro é especialmente dedicado ao assunto para os homens lembrarem-se da importância de seu autocuidado e do cuidado com a saúde. Muitos fatores ainda interferem e causam dificuldade na busca de orientações e tratamento, pois tradicionalmente, o homem possui o papel de ser sempre forte e saudável, dispensando auxílio profissional. Neste sentido, o profissional da psicologia estará disponível para acompanhar e vivenciar o tratamento do câncer de próstata, auxiliando na identificação de estratégias e mobilizando os recursos internos na vivência do processo oncológico, buscando amenizar os impactos causados, orientando quanto as suas reações emocionais, perdas, reabilitações e proporcionando suporte emocional ao paciente e aos seus familiares.

Receber acompanhamento psicológico faz a diferença diante do diagnóstico e tratamento do câncer de próstata, pois, segundo relato de um paciente “saber que alguém  ouve e acolhe a gente, alivia e dá esperança pra continuar”.

 

Refletindo
Psicólogas Caroline Katiuscia Krummenauer, Mariana D. Herdt e Valdirene Sutil Rafaeli

Continuar Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em Refletindo

Artigos Populares

Esporte, Saúde e Qualidade de Vida

Mãe que pedala…

Papo de Homem

Pessoa poderosa

Turminha da Paz

Isabel e Zacarias

Para o Topo