Conectado com

Refletindo

Outubro Rosa

Por Caroline Katiuscia Krummenauer

O mês de outubro é marcado pela campanha de prevenção ao câncer de mama, o Outubro Rosa. É uma campanha internacional em favor da prevenção deste tipo de câncer, buscando estimular a participação da população, das empresas e das entidades. Conforme dados coletados no Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de mama é um dos tipos de câncer mais incidente entre as mulheres.

O diagnóstico de câncer e todo o processo da doença são vividos pela paciente e sua família como um momento de intensa angústia, sofrimento e ansiedade. Quando a mulher recebe o diagnóstico de câncer de mama, uma série de preocupações passa a tomar conta do pensamento.

O atendimento psicológico se faz de extrema importância, possibilitando a essa mulher uma melhor reflexão e enfrentamento do câncer e do seu tratamento. Assim como apoio (para se necessário) enfrentar a cirurgia de mastectomia (retirada da mama). É preciso fortalecer a sua autoestima, que se mostra abalada pela doença, identidade e autonomia.

O psicólogo visa manter o bem-estar psicológico da paciente, identificando e compreendendo os fatores emocionais que intervêm na sua saúde. Outros objetivos do trabalho desse profissional são prevenir e reduzir os sintomas emocionais causados pelo câncer e seus tratamentos, levar a paciente a compreender o significado da experiência do adoecer, possibilitando assim re-significações desse processo.

Em sua atuação, o psicólogo deve estar atento também aos distúrbios psicopatológicos, como depressão e ansiedade graves. Sua prática é exercida em todas as etapas do tratamento, habilitando a paciente a confrontar-se com o diagnóstico e com as dificuldades dos tratamentos decorrentes, ajudando-a a desenvolver estratégias adaptativas para enfrentar as situações estressantes.

Os objetivos do trabalho do psicólogo serão alcançados na medida em que esse profissional vai compreendendo o que está envolvido na queixa da paciente, buscando sempre uma visão ampla do que está se passando naquele momento não escolhido da vida dela. Num espaço de acolhimento e escuta o psicoterapeuta deve sempre trabalhar com a realidade. Quanto mais informada a paciente estiver de sua doença, maior será a sua capacidade de enfrentar o adoecer e mais confiança terá na equipe. Pacientes bem informados reagem melhor ao tratamento.

 

Refletindo
Psicólogas Caroline Katiuscia Krummenauer, Mariana D. Herdt e Valdirene Sutil Rafaeli

Continuar Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em Refletindo

Artigos Populares

Esporte, Saúde e Qualidade de Vida

Mãe que pedala…

Papo de Homem

Pessoa poderosa

Turminha da Paz

Isabel e Zacarias

Para o Topo