Conectado com

Experiência conta?

Anos Dourados

Experiência conta?

Recentemente, ouvi a expressão “bananeira que já deu cacho”, referindo-se a uma pessoa idosa. Um tronco de bananeira (que tecnicamente não é um tronco, mas um pseudocaule) só produz um cacho. Depois, na maioria dos casos, é descartado. Que maldade! Infelizmente, é o que muitos pensam das pessoas idosas. Que não servem mais para nada. Até atrapalham, pensam muitos.

Houve época em que não era assim. Nos tempos bíblicos, os idosos tinham grande valor, por sua experiência, conhecimento e sabedoria. Mesmo mais recentemente, há algumas décadas atrás, valorizava-se mais o idoso do que hoje. Por que isso está mudando? Por duas razões: primeiro, porque o conhecimento está mudando muito rapidamente. Em outras épocas, as coisas não mudavam no decurso de uma geração para a outra. A carroça, o lampião, as formas de comunicar em 50 anos continuavam os mesmos. E aí os idosos sempre tinham o maior conhecimento. Hoje, isso muda tão rapidamente que o idoso tem dificuldade em se atualizar. E às vezes, nem quer mesmo.

A segunda razão é o individualismo. Somos incentivados a procurar a “minha felicidade”, “meus projetos pessoais”, “não interessa o que os outros pensam”, “faça o que te faz feliz”, e assim por diante. As pessoas são induzidas a agir muito mais por egoísmo do que por amor. Até orações muitas vezes têm essa ênfase: “Eu te peço…”, “Me abençoa…”

Com tudo isso, muitas vezes ignora-se que o idoso tem muito mais experiência. E se despreza essa experiência.  Pode até ser que nas tecnologias o idoso não tenha a informação mais atualizada. Mas, o que mais conta na vida não são as tecnologias, mas Deus, a fé, o amor, a paz, os relacionamentos, a esperança. E aí a experiência do idoso conta muito. Ele já viveu muitas situações e pode compartilhar muita coisa boa.

Mas tem uma coisa que é preciso apontar aqui: a questão de quanto nós de fato aprendemos com nossa própria experiência. Muitas vezes, acontece que a própria pessoa não aprende. Esquece de quantas vezes já foi ajudada por Deus; de quantas provações Deus já a livrou; de como estava numa situação que achava sem saída, e Deus deu uma solução; de quanta coisa que pensava que precisava ter para ser feliz, e Deus deu felicidade mesmo sem dar aquilo; de quantos erros fez, Deus perdoou e fez com que andasse em bons caminhos; de como é importante e bom o amor às pessoas e o amor das pessoas; do que vale a pena e do que não vale…

Muita experiência! Precisamos aprender com ela! E aí poderemos dar exemplo, e nosso exemplo ajudar outras pessoas. Só mais um cuidado: não nos façamos de “sabe tudo”, não sejamos orgulhosos, “gabolas”, mas com muita humildade ajudemos os outros com nossas experiências. Porque a experiência conta muito!

“Tu me tens ensinado, ó Deus, desde a minha mocidade; e até agora tenho anunciado as tuas maravilhas. Não me desampares, ó Deus, agora que estou velho e de cabelos brancos, até que eu tenha declarado à presente geração a tua força e às gerações vindouras o teu poder.” Salmo 71:17-18.

Anos Dourados
Romildo Wrasse

Continuar Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em Anos Dourados

  • Anos Dourados

    Quando a ansiedade é um problema

    Por

    Você se preocupa demais com as coisas, por antecedência? Você sofre por antecedência com o que...

  • Anos Dourados

    Você é legalista?

    Por

    O que é ser legalista? É a pessoa que ensina e aplica o legalismo. Legalismo é...

  • Anos Dourados

    Idade, vida e movimento

    Por

    “Cresçamos em tudo até alcançarmos a altura espiritual de Cristo” Ef 2:15   “A vida é...

  • Anos Dourados

    Idosos e o tempo – falta ou sobra?

    Por

    Falar de tempo é algo bem atual. Cada pouco se ouve expressões como: não tenho tempo!...

  • Anos Dourados

    A gratidão que integra

    Por

    Seu mal-agradecido! Anos atrás, isso era um xingamento forte, não é mesmo? Hoje em dia, há...

Para o Topo